Museu Padre Le Paige

Durante nossa visita à pequena cidade de San Pedro de Atacama, você mencionou que o seu desejo era conhecer o Museu Gustavo Le Paige.

No entanto, quando chegamos a este centro da cosmovisão atacamenha, descobrimos que não é mais aberto ao público.

Confusos, pedimos explicações dos nativos da região, que explicaram o que mais tarde confirmaríamos nas notícias: o museu já não tinha mais capacidade e infraestrutura para cuidar das peças tão valiosas. Infelizmente, chegamos atrasados ​​para a despedida.

Após 18 meses de trabalho árduo e delicado, no início de 2016, doze mil caixas com peças do museu foram transferidas em sua totalidade para um lugar transitório que as abrigará por dois anos.

Esta viagem também incluiu “os avós”, apoio amoroso dado aos corpos mumificados que foram preservados no museu e que deixaram o local com uma cerimônia respeitosa organizada pela comunidade.

Gustavo Le Paige, um padre jesuíta, foi pioneiro na pesquisa arqueológica no norte do Chile.

Nos anos cinquenta, quando ele foi pastor de San Pedro de Atacama, começou um árduo trabalho com as coleções arqueológicas e etnográficas atacamenhas que foram expostas no museu e chegaram a ser mais de 380.000 peças.

Em 1963, com o apoio da Universidade Católica do Norte, o pesquisador inaugurou o primeiro pavilhão do emblemático edifício que agora fechava as portas. Embora não pudéssemos visitá-lo, ficamos felizes em saber que o museu estava em boas mãos.

Com um silencioso “em breve”, dissemos adeus com a promessa de voltar em dois anos para ver esse museu de 5.000 metros quadrados renovado, algo que certamente deixaria feliz o jesuíta Gustavo Le Paige.